quinta-feira, 9 de abril de 2009

QUESTÕES DA FUVEST 2009

Seu pé direito nas melhores Faculdades FUVEST – 23/11/2008

HISTÓRIA


01. No ano passado, aconteceu em Pequim mais uma Olimpíada.
No mundo, peças teatrais estão sendo continuamente
encenadas. Como se sabe, Olimpíadas e teatro (ocidental)
foram uma criação da Grécia antiga.
Discorra sobre
a) o significado dos jogos olímpicos para os antigos
gregos;
b) as características do teatro na Grécia antiga.

Resolução:

a) Para os gregos antigos, os jogos olímpicos tiveram vários
significados, dentre os quais podemos citar:
- o caráter religioso de festa em homenagem a Zeus;
os atletas vencedores eram sempre exaltados como heróis
nas suas cidades, inclusive aumentando o prestígio destas;
- marco inicial calendário grego;
a primeira Olimpíada ocorreu no ano 776 a.C. e
contava-se o tempo com o referencial de 4 em 4 anos a
partir desta data;
- a integração das várias Polis, trazendo sempre uma trégua
temporária entre as várias cidades-Estado gregas, como
forma de reforçar a identificação dos helenos.
- prática de várias modalidades esportivas como, por
exemplo, corridas e lançamentos de discos;
- disputadas apenas pelos homens;
- caráter antropocêntrico tipicamente grego, embora fossem
festas religiosas e integrassem os vários participantes.

b) O Teatro foi uma das maiores realizações dos gregos antigos,
que praticaram dois gêneros dramáticos: a Tragédia e a
Comédia.
A Tragédia originou-se das festas rurais em homenagem ao
deus Dionísio (Baco), simbolizado por um bode.
Os três grandes autores da Tragédia que conhecemos
foram Ésquilo, Sófocles e Eurípides (século V a.C.).
Ésquilo tratou da fatalidade, que governa os homens e
significa a evolução social, a que nem os próprios deuses
poderiam se opor. Entre suas obras: Os Persas e Prometeu
Acorrentado.
Sófocles teve como tema dominante de suas Tragédias o
conflito entre o indivíduo e a sociedade. Escreveu, entre
outras obras, Édipo Rei e Antígona.
Eurípides escreveu sobre temas políticos e sociais. Para
ele, o destino humano "nasce do próprio Homem, do poder
de suas paixões" (antropocentrismo). Escreveu Medeia e
Troianas.
A Comédia, surgida mais tarde, teve como seu mais famoso autor
Aristófanes, que satirizou a sociedade, a política, a justiça e
os costumes urbanos daqueles tempos (séculos V e IV a.C.).
Escreveu As Rãs, As Nuvens e A Paz.

02. No feudalismo, a organização da sociedade baseava-se em
vínculos de dependência pessoal como os de vassalagem e
servidão.
Descreva o que eram e como funcionavam, na sociedade feudal,
a) a vassalagem;
b) a servidão.
Resolução: As relações de suserania e vassalagem e as relações de
servidão foram às bases do funcionamento do feudalismo nas suas
instituições militares, políticas e econômicas.
a) A Vassalagem teve sua origem nos costumes germânicos
(o comitatus: fidelidade ao líder).
No feudalismo, essa relação tornou-se tradicional e de forte vínculo
religioso-militar (como forma de legalizar, em nome de Deus, a
ligação entre as partes). Desenvolveu-se para uma relação de
reciprocidade, isto é, ao suserano cabia principalmente dar terras
ao seu vassalo e prometer a proteção militar em caso de
necessidade; ao vassalo cabia, entre outras obrigações, a fidelidade
absoluta ao suserano. Em caso de guerra, deveria servi-lo
incondicionalmente.
b) As relações de servidão implicavam em trabalho compulsório do
servo em relação ao senhor feudal e à Igreja.
Ao primeiro, deveria trabalhar em suas terras e pagar impostos
como a Corvéia, a Talha e as Banalidades, em troca de proteção
militar (entenda-se opressão militar).
Ao segundo, deveria pagar o Dízimo em troca de proteção
espiritual — ir para o céu. (entenda-se opressão espiritual).
03. A Reforma religiosa do século XVI provocou na Europa
mudanças históricas significativas em várias esferas.
Indique transformações decorrentes da Reforma nos âmbitos
a) político e religioso; b) sócio-econômico.
Resolução:
a) No âmbito político, a Reforma significou o enfraquecimento do
poder papal e o fortalecimento do poder absolutista. Com o
rompimento do monopólio católico na Europa Ocidental, os reis,
em processo de fortalecimento, se aproveitaram para centralizar
cada vez mais o poder em suas mãos. Citamos como exemplo
Henrique VIII, na Inglaterra, com sua reforma Anglicana (que foi
muito mais de caráter político do que religioso) e os príncipes
alemães que se libertaram de Roma ao abraçarem o luteranismo e,
consequentemente, reforçarem seus poderes pessoais, tomando
para si as terras da Igreja Católica.
No âmbito religioso, a Reforma permitiu acabar com o pretenso
universalismo da Igreja Católica e o surgimento de uma
multiplicidade de novos comportamentos e religiões. Libertou a
população dos dogmas católicos e permitiu a leitura e livre
interpretação da Bíblia (aliás, pregada por Lutero). Enfim, uma
nova alternativa cristã fora do Catolicismo.

b) No campo sócio-econômico, as transformações foram
muito eloqüentes. Lutero abriu caminho para Calvino.
Este, por sua vez, pregava, através da Predestinação
Absoluta, a salvação por meio do acúmulo da riqueza
advinda do trabalho, fato que praticamente santificou
as práticas capitalistas, libertando a burguesia para os
negócios e possibilitando o início de uma mudança de
comportamento social (ascensão social), em detrimento
da nobreza (bastante estática e presa às tradições).
Socialmente a Reforma também estimulou as revoltas
camponesas e de cavaleiros (buscavam a igualdade
bíblica: social-política e econômica), que foram
prontamente reprimidas pelos senhores feudais. De
qualquer forma, com o auxílio da imprensa, a Bíblia
foi mais difundida, dando acesso a grande parte da
população e contribuindo para a alfabetização, pela
necessidade de ler e interpretar a Bíblia.

04. E [os índios] são tão cruéis e bestiais que assim matam
aos que nunca lhes fizeram mal, clérigos, frades,
mulheres... Esses gentios a nenhuma coisa adoram,
nem conhecem a Deus.

Padre Manuel da Nóbrega, em carta de 1556.

(...) Não vejo nada de bárbaro ou selvagem no que
dizem daqueles povos; e na verdade, cada qual
considera bárbaro o que não se pratica em sua terra.
(...) Esses povos não me parecem, pois, merecer o
qualitativo de selvagens somente por não terem sido
se não muito pouco modificados pela ingerência do
espírito humano e não haverem quase nada perdido
de sua simplicidade.

Michel de Montaigne. Ensaios, 1588.

a) Compare as concepções dos dois autores sobre
as populações nativas do Brasil.
b) Indique a concepção que prevaleceu e quais as
conseqüências para a população indígena.

Resolução:
a) A concepção de Manoel da Nóbrega ressalta a
bestialidade e desconhecimento de Deus por parte do
"gentio" (povos indígenas não cristianizados) e serve
de justificativa para a dominação, catequização e
exploração dos povos nativos americanos. A concepção
de Montaigne opõe-se à de Nóbrega, relativizando
os costumes indígenas e europeus, afirmando que cada
um considera bárbaro o que lhe é diferente.
b) Prevaleceu a concepção de Nóbrega, eurocêntrica,
católica e colonialista, e seu resultado para os indígenas
foi a quase destruição de sua cultura via catequização e
a dizimação de populações devido às guerras de
conquista e escravização.

05. Observe a imagem de Ângelo Agostini sobre o impacto da Guerra do Paraguai
na sociedade brasileira.
a) Explique o impacto social a que ela se refere;
b) Explique os desdobramentos políticos dessa guerra.

Resolução:
a) A Ilustração remete ao paradoxal papel do negro no Brasil após a guerra
do Paraguai, já que este, embora tenha participado na guerra como
soldado e defensor do império, continuava escravo.
Esta contradição, por sua vez, favoreceu o desenvolvimento de
campanhas abolicionistas, inclusive no seio do exército.
b) A guerra do Paraguai teve como consequência a valorização, organização
e politização do exército, personagem fundamental no movimento
republicano e na posterior queda do império.
a) Os dados da tabela indicam que, apesar das oscilações, houve
expressivo crescimento industrial no período 1914-1920. Explique
as razões desse crescimento.
b) Estabeleça relações entre os dados da tabela sobre custo de
vida e salários com o movimento operário do período.
CUSTO DE VIDA, SALÁRIOS E PRODUÇÃO
INDUSTRIAL NO BRASIL
Produção Industrial
100
118
140
197
171
209
188
Custo de Vida
100
108
116
128
144
148
163
Salários
100
100
101
107
117
123
146
Ano
1914
1915
1916
1917
1918
1919
1920
R. C. Simonsen, A Evolução Industrial do Brasil, 1939.
05/01/2009
Seu pé direito nas melhores Faculdades FUVEST – 23/11/2008
CPV fuv081fnov_inteira
39
Resolução:
a) O crescimento industrial brasileiro ocorrido entre 1914 e 1920
está diretamente ligado à Primeira Guerra Mundial, que dificultou
as importações provenientes da Europa, abrindo espaço para a
produção nacional.
b) O descompasso entre o aumento do custo de vida e os salários
foi um dos fatores que originou a organização, militância e
radicalização do operariado brasileiro, que realizou
manifestações e greves nas décadas de 10 e 20, sendo a mais
famosa a Greve Geral de São Paulo em 1917.
07. A expressão "política do café com leite" é muito utilizada para
caracterizar a Primeira República no Brasil.
Sobre essa política, descreva
a) seu funcionamento;
b) seu colapso na década de 1920.
Resolução:
a) "Política do café com leite" é o termo que designa a hegemonia
política das oligarquias aliadas de Minas Gerais (leite) e São
Paulo (café) na Primeira República brasileira, baseada na chamada
política dos governadores, no coronelismo e nos currais
eleitorais.
b) O colapso da política do café com leite e a decorrente revolução
de 30 está relacionado à crise de superprodução do café, na
década de 1920, que enfraqueceu as oligarquias hegemônicas e
ao crescimento de novos "atores sociais" no início do século
XX, como o operariado industrial, o movimento tenentista e a
burguesia industrial que, juntamente às oligarquias dissidentes,
buscavam maior espaço político.

08. Dentre as Revoluções ocorridas na América Latina, no século XX,
duas sobressaem: a Mexicana de 1910 e a Cubana de 1959. Pode-se
afirmar que o traço distintivo da primeira é seu caráter camponês e
o da segunda, seu caráter socialista.
Explique o significado desses traços distintivos em relação à
a) Revolução Mexicana.
b) Revolução Cubana.

Resolução:
a) A Revolução Mexicana (1910) objetivou o fim da longa ditadura
de Porfírio Dias. Devido às insatisfações com o governo, eclodiram
vários conflitos de interesses das várias facções de classes, como:
a burguesia (com seu projeto "liberal"), os latifundiários (com
seu projeto conservador) e os camponeses (com seu projeto de
profunda reforma agrária). Após várias etapas e governos
efêmeros, destacou-se a participação camponesa, na fase mais
radical. Revolucionários como Pancho Villa (vindo com seus
homens do Norte para a capital) e Emiliano Zapata (com seus
camponeses de origem indígena, vindo do Sul em direção à capital)
traziam um projeto reformista, agrário e popular: o Plano de
Ayala. Apesar de assumirem o poder, Villa e Zapata foram
massacrados, pouco tempo depois, pelos seus opositores, que
não pretendiam ir tão longe com as reformas e nem alterar tanto
o status interno do "Novo México Revolucionário".
b) A Revolução Cubana, chefiada principalmente por Fidel Castro
(Movimento 26 de Julho) além de Raul Castro, Camilo
Cinfuegos e Ernesto "Che" Guevara, partiu de um foco
("foquismo") nas remotas montanhas de Sierra Maestra e
lentamente foi ganhando a simpatia da massa da população
desfavorecida. Após derrotar o governo ditatorial de Fulgêncio
Batista, a elite cubana (dona da terra) e até uma parte da máfia
americana que se encontrava na ilha, Fidel propôs um novo
governo de caráter socialista, nacionalista e antiimperialista. Como
a pressão americana foi muito forte no sentido de "recuperar a
Ilha" (invasão da Bahia dos Porcos, em 1961), Fidel se viu
obrigado a entrar na zona de influência da URSS (contexto da
guerra Fria) e assim conseguir apoio para continuar a revolução,
embora perdesse um pouco da autonomia sobre as decisões da
continuidade de seus projetos.

09. A construção de Brasília foi um marco no governo de Juscelino
Kubitschek (1956-1961).
a) Relacione a construção de Brasília com as metas do governo JK.
b) Indique algumas decorrências da mudança da capital federal para o
interior do país.

Resolução:
a) A construção de Brasília por Juscelino Kubitschek foi considerada
a meta síntese de seu governo e está diretamente associada a seu
projeto de desenvolvimento e integração nacional.
b) A transferência da capital teve como decorrências: o afastamento
do centro político federal das pressões dos grandes centros urbanos
e a integração, desenvolvimento e povoamento da região central do
país.

10. Criado em 1948, o Estado de Israel acaba de completar 60 anos.
Discorra sobre
a) o contexto histórico internacional que levou à criação desse Estado;
b) as razões históricas dos conflitos entre israelenses e palestinos,
que persistem até hoje.

Resolução:
a) A criação do Estado de Israel ocorreu no contexto histórico do pós
Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
Em 1948, o movimento sionista pela criação de um estado judaico,
com apoio dos EUA e da Inglaterra, conseguiu seu reconhecimento
perante a ONU como Estado Independente. A situação englobava o
choque da opinião pública mundial com as cenas do Holocausto,
divulgadas pela mídia da época, a descolonização da Ásia-África e a
Guerra Fria. Capitalistas apoiavam Israel e Socialistas apoiavam os
estados árabes.
b) O território foi dividido de forma questionável, já que ambos os
povos alegam ser a terra de suas origens históricas (Hebreus e
Filisteus). A maior parte das terras ficou para os judeus (minoria
da população local) e a menor parte ficou para os palestinos
(maioria da população local). Além disso, só o Estado de Israel foi
reconhecido oficialmente pela ONU, enquanto os palestinos
deveriam esperar pala sua vez. Desde aquela época até hoje, muitos
conflitos foram registrados na região, nem todos os acordos foram
respeitados, houve várias guerras de conquistas territoriais;
causando milhares de mortes, rancores e injustiças de ambos os
lados, inviabilizando uma solução. Para piorar o panorama, com o
passar dos anos foram aparecendo grupos radicais fundamentalistas
que encontram nas ações terroristas, entre outros métodos, a forma
de combater o inimigo.
Comentário do CPV
Prova Clássica.
Temas amplos, conhecidos e pertinentes aos vestibulandos e a historiografia.
A FUVEST este ano está de parabéns.
Prova bem preparada e tranqüila ao vestibulando dedicado.
05/01/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário